EDUCATIONAL TESTBED

EDUCATIONAL TESTBED

abril 14, 2019 Testbed 0

Uma nova maneira de ensinar no mundo da Indústria 4.0

 “Um testbed é uma plataforma de avaliação controlada, baseada em uma arquitetura e métricas de referência, onde as soluções podem ser desenvolvidas e testadas em um ambiente real. Estes exploram novas tecnologias ou tecnologias existentes, isoladamente ou em conjunto, para estabelecer uma nova solução. De um testbed são geradas demandas por novos padrões normativos e que resultam em novos produtos ou serviços”.

Como tudo isso começou? 

  • Necessidade de motivar os estudantes da disciplina 
  • Necessidade de melhorar os cursos 
  • Necessidade do trabalho pratico e aproximação do Mercado e industrias 

 O que fazer?

  •  Inovar os caminhos para ensinar 
  •  Inovar as matérias para melhorar os cursos, motivar os estudantes e trazer os estudantes para trabalhos na indústria 

Metodologias de disciplinas 

Flipped Classroom: é uma forma de aprendizado invertida, baseada na premissa da filosofia questionadora e igualitária: Com o crescente acesso à vasta informação pela internet, o modelo tradicional de professor como único mordomo do conhecimento tornou-se obsoleto (Jenkins et al., 2017).
Problem-Based Learning – PBL: An instructional method characterized by the use of real problems, such as the context for students to learn to take a critical stance and the skills needed to solve problems, and acquire knowledge of the essential concepts. (A. J. Magana, C. Vieira & M. Boutin, “Characterizing Engineering Learners’ Preferences for Active and Passive Learning Methods”, IEEE Transactions on Education, vol. 61, issue. 1, pp. 46–54, Feb. 2018).
Project-based based learning: It consists of a project based methodology where students must independently solve technical problems similar to those faced in their professional life. (L. O. Seman, R. Hausmann, E. A. Bezerra, “On the students’ perceptions of the knowledge formation when submitted to a Project-Based Learning environment using web applications”, Computers & Education, vol. 117, pp. 16-30, 2018).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *